INCORPORAÇÃO DA IRESA: Nenhum direito a menos

Geral

APRASC promove ações na busca de valorizar os praças do Quadro Especial
16/07/2020

Com objetivo de estabelecer o perfil e peculiaridades de cada sargento BM ou PM do quadro especial interessado em atualizar sua carreira dentro da instituição, a APRASC elaborou um questionário que pode ser respondido por associados e não associados.

Acesse aqui.

Entre os questionamentos do formulário está se o praça é PM ou BM, a função exercida na Corporação, tempo de interstício, data aproximada para alcançar a reserva e sugestão de formas de ação para o jurídico da APRASC e para a carreira dos praças.

 

“O objetivo dos praças do Quadro Especial é poderem ascender na carreira, ou seja, que os praças possam estar habilitados e em condições legais para continuar sendo promovidos. Essa é a expectativa enorme, que foi parada no tempo. Todo policial ou bombeiro entra na Corporação com o desejo de crescer na carreira e para o quadro especial isso já não existe mais”, disse o sargento Rodrigo Martinho Rosa, do 28° Batalhão- Laguna, e que lidera a Comissão “QE buscando seu direito”, juntamente com o sargento Norton dos Santos, CRE - Tubarão.

A Comissão foi criada pelos sargentos com o apoio da APRASC. O grupo se uniu para buscar a valorização dos praças.

A Comissão se reuniu com o jurídico da APRASC no dia 29 de junho, e agora, segundo a advogada Mariana Lixa, está sendo montada a documentação para realizar uma próxima reunião presencial. O Jurídico também aguarda o resultado do questionário para definir com os praças qual a melhor maneira de atuar nesses casos.

De acordo com presidente da APRASC, João Carlos Pawlick, a resolução dessa questão é fundamental, pois além de causar uma divisão interna, gera frustração em quem tem o desejo de avançar na carreira.

“Estamos estagnados na carreira, uns vencendo o tempo de serviço, indo para a reserva, sem expectativa e outros com mais tempo, mas também sem expectativa. Todos os policiais e bombeiros do quadro especial querem ser valorizados. Todos têm uma experiencia enorme, com mais de 25 anos de serviço, mas estão sem estímulo nenhum, estão estagnados, porque o mais importante que é o direito de ascender na carreira foi retirado”, ressalta o sargento Rodrigo Martinho Rosa.

De acordo com ele, são mais de 1.700 praças policiais e bombeiros militares nessa situação.

Se você faz parte do Quadro Especial, participe preenchendo o questionário. O resultado será divulgado na próxima semana.

 

Ouça a reportagem na Radioweb APRASC:

 

Leia também: APRASC relata conclusões sobre carreiras dos praças de SC

[ Últimas notícias ]
POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES LUTANDO PELA SEGURANÇA DA SOCIEDADE
  • (48)3223-2241

Associação de Praças de Santa Catarina - Rua Raul Machado, 139 Centro - CEP: 88020-610 - Florianópolis/SC

Horário de funcionamento
Segunda a sexta-feira 8h às 12h e 14h às 18h