Secretário da Segurança Pública apoia criação de um fundo assistencial para agentes da segurança atingidos por ações do crime organizado

Geral

Em reunião, Aprasc trata das demandas dos praças com Comandante Geral
10/08/2017



A diretoria da Aprasc esteve reunida no final da tarde dessa quarta-feira (9), com o comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), coronel Paulo Henrique Hemm. Participaram o presidente, subtenente Edson Fortuna, e os diretores cabo Everson Henning (coordenador de Imprensa) e cabo Elisandro Lotin de Souza (coordenador de Relações Públicas), que também é presidente da Anaspra – Associação Nacional de Praças.­­ 

No encontro foram tratados cerca de 15 temas que dizem respeito ao conjunto dos praças da ativa e da reserva remunerada, definidos a partir de reuniões realizadas nas bases e de solicitações enviadas por associados.

Entre eles, os projetos do plano de carreira e do QOA (Quadro de Oficiais Administrativos). A Aprasc solicitou novamente agilidade para que os projetos sejam enviados à Alesc, bem como, uma emenda ao projeto do Plano de Carreira reduzindo o tempo mínimo para a promoção a cabo passando de 12 para 10 anos. O comandante disse que as propostas encontram-se em análise na Secretaria da Segurança Pública e que o projeto do QOA do bombeiro está passando por algumas modificações, conforme solicitação feita pela Aprasc. 

Quanto à data-base, apesar da argumentação de os praças estarem há 6 anos sem reposição salarial, o comandante-geral disse que não há nenhuma sinalização por parte do governo. 

 Também foi solicitado por parte da Associação maior transparência nos critérios para escolha e contratação no CTISP e que os exames para contratação possam ser feitos nas unidades sanitárias locais, sem necessidade de deslocamento a Florianópolis. O comandante informou que no momento não há vagas no CTISP e que já foram solicitadas mais 250 vagas, sendo que o pedido está em avaliação no Grupo Gestor. Quanto à escolha, prometeu estudar e se preciso modificar a lei para que sejam definidos critérios objetivos e que a contratação seja de acordo com a necessidade do serviço e a qualificação dos candidatos.

Quanto às transferências de policiais que participaram dos cursos TOM/M, cavalaria e choque, o coronel Hemm garantiu que todos serão transferidos e que o prazo de validade de 60 dias, como o do Tom M, poderá ser prorrogado, sem a necessidade de realização de novo curso. 

A diretoria cobrou punição para os batalhões que estão descumprindo a carga horária para o policiamento ostensivo. Houve casos no carnaval, oktoberfest e agora novamente na Festa do Pinhão, com policiais trabalhando de 12 a 16 horas seguidas. “Já entramos na Justiça, no caso da Oktoberfest e queremos o cumprimento da Lei 16.773 que trata da jornada de trabalho onde está a norma 001 que estabelece horário não superior a seis horas de policiamento ostensivo a pé.”, disse Fortuna. 

Por último, Aprasc e Anaspra convidaram o Comando-Geral para o 13º ENERP - Encontro Nacional de Entidades Representativas de Praças,  organizado pelas duas associações e que vai ocorrer no mês de novembro, em Santa Catarina.

Galeria de Fotos
[ Últimas notícias ]
POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES LUTANDO PELA SEGURANÇA DA SOCIEDADE
  • (48)3223-2241 3039-0609

Associação de Praças de Santa Catarina - Rua Raul Machado, 139 Centro - CEP: 88020-610 - Florianópolis/SC

Horário de funcionamento
Segunda à sexta-feira 8h às 12h e 14h às 18h